quinta-feira, 21 de junho de 2012

Relatório - A Caixa Escura

A Caixa Escura:

Resumo:
 
 Nesta experiência, construímos uma Caixa Escura, que foi o primeiro protótipo de câmera fotográfica. Então vimos como é que o nosso olho funciona. Através desta experiência, aprendemos como funcionava a máquina fotográfica antiga.
 
Introdução:

 A Caixa Escura é o nome popular da Câmara Escura, primeiro modelo de máquina fotográfica, que consistia em uma caixa completamente preta por dentro com dois furos. Pelo furo maior a imagem era captada e, dentro da câmara, invertida verticalmente, colocando-a de "cabeça para baixo" e, no furo menor, era projetada a imagem modificada ( invertida ). Depois dessa descoberta, muitos inventores colocaram um tipo de espelho meio inclinado dentro e o furo menor era substituído por uma tela, onde os artistas pintavam por cima da imagem que aparecia na tela. Eis aqui uma foto da câmara usada por artistas no século XVIII ( Século Dezoito ):

Câmara Escura - Século XVIII
( Foto retirada de: pt.wikipédia.org/wiki/ )

Metodologia:

  Acendemos uma vela e colocamos ela próxima ao buraco maior da caixa, colocamos o papel preto do lado do furo menor e pudemos ver a imagem da vela de cabeça para baixo, o professor nos explicou que é assim que os nossos olhos funcionam, eles enxergam tudo invertido e então o cérebro desvira a imagem.

Medidas:

 Para construir a câmara escura, utilizamos:

  • Caixa de Sapatos
  • Papel preto
  • Fita isolante
  • Tinta preta
  • Pincel
  • Tesoura

 Pegamos a caixa de sapatos, desfizemos a armação dela e a cortamos em duas partes, uma um pouco maior que a outra. Depois, pegamos a tinta preta e pintamos todo o lado de dentro da caixa. Depois, a montamos denovo, colando as laterais com fita isolante e cobrindo com papel preto. Fizemos um furo de cada lado. 


Conclusão:

 A caixa escura funciona como os nossos olhos, eles captam a imagem e as projetam invertidas, depois o cérebro funciona como um espelho, invertendo a imagem novamente, deixando-a com o formato original.

Bibliografia:

Wikipédia - pt.wikipedia.org/wiki/



quinta-feira, 7 de junho de 2012

Relatório de Laboratório - Expansão de Gases

Relatório da Experiência
Expansão dos gases

            Resumo: 

Nesta experiência aprendemos sobre a expansão dos gases, que ocupam mais espaço a cada segundo, se expandindo para todos os lados. Utilizamos algumas coisas básicas para esta experiência, sendo fácil de reproduzi-la em casa.

        Introdução:

Ao aquecer o açúcar vimos ele se transformar em outra coisa, algo preto e mais consistente, o que seria isso? 

“O açúcar é retirado da beterraba ou da cana de açúcar”. “São glúcidos que se descompõem com o calor e é combustível como o carvão, a madeira ou outro.” “Quando o açúcar é aquecido, ele fica escuro”.

Quando está a fazer o caramelo ele começa a escurecer cada vez mais até ficar escuro e se por acaso se esquecer de retirar do lume ele fica tipo cinzas, ou seja fica tipo carvão." - Ou seja, o açúcar começa a virar caramelo, mas, quando esquenta mais do que isso ele vira carvão.
     
É fato que qualquer massa biológica - qualquer organismo que tenha uma massa que o fogo possa consumir vira carvão ao ser queimado. Nenhum animal ou vegetal pode escapar disso, peixe queimado vira carvão, porco queimado vira carvão, açúcar - que é o líquido retirado da cana de açúcar depois de solidificado e refinado - também vira carvão, até mesmo os mortos cremados se transformam em carvão. Quando o açúcar começa a virar carvão, ele libera, através do vapor, a água presente nele, então, após toda a água ser evaporada, ele vira carvão. Escurecendo cada vez mais até ficar preto e virar o famoso carvão vegetal, sendo o carvão mais utilizado do mundo.
                                                                                                     
Metodologia:

Recebemos para fazer a experiência: um tubo de ensaio com um pouco de açúcar, um pregador de roupa com uma madeira presa, uma bexiga, uma tira de fita crepe e ainda tínhamos o bico de Bussen - tipo de mecanismo que libera uma quantidade baixa de gás, mas o suficiente para acender uma chama - instalado na mesa.

Acendemos o Bico de Bussen, com uma chama média, prendemos a boca da bexiga do lado aberto do tubo de ensaio, colamos a fita em torno da boca do tubo de ensaio que estava encoberto com a bexiga, prendemos o pregador na lateral do tubo de ensaio e colocamos ele na lateral da chama, inclinamos um pouco o tubo, de maneira que o açúcar ficasse bem acima da chama.

Após um tempo, o açúcar começou a escurecer e a liberar um tipo de vapor. Até chegar a um ponto em que o açúcar ficou preto e o gás ficou castanho, com um cheiro doce de caramelo. A bexiga encheu com os gases.

Medidas:

Utilizamos nesta experiência:

- 1 tubo de ensaio
- 1 bexiga
- um pedaço de fita crepe
- 10g de açúcar
- Bico de Bussen

Conclusão:

Toda e qualquer matéria biológica quando aquecida pode virar carvão, e quando o açúcar se transforma em carvão ele libera uma quantidade de gases suficiente para encher uma bexiga.

Bibliografia:

- Site Os Porques - osporques.com/porque-e-que-o-acucar-muda-de-cor-quando-aquecido/

- Blog La-Blog-Atorio - www.la-blog-atorio.blogspot.com